22 de outubro de 2015

DIA 26 - MARMELOS E AZEITONAS. E BOLACHAS TAMBÉM


Hoje foi dia de teste.
Para evitar a avalanche de dúvidas, disse aos moços que apenas estaria disponível para esclarecimento de alguma questão nos 10 minutos finais.
É claro que foram pondo dedos no ar, é claro que eu ia olhando, fazendo uma aceno negativo, e a dúvida esvaía-se. Aconteceu assim com quase todos. Quase, pois o A., teimosamente, insistia em chamar-me. Fui-me sempre escusando, até que percebi que, para além de continuar com o dedo no ar, o olhar esse, começava-se-lhe a humedecer.
Contrariada, embora com o coração amolecido, perguntei-lhe o que se passava.
- Oh pressora- o tom era envergonhado – eu já soube isto, mas agora já não me lembro…
Ofereci-lhe um “sim…” expectante.
- Oh, pressora, qual é que é o fruto da oliveira?
- Marmelos! – pensei em responder, mas achei por bem não o fazer, até porque a criança estava com cara de quem iria acreditar em qualquer coisa que eu dissesse. Em vez disso, respondi:

- É a azeitona, A., é a azeitona. 

Chegada à sala de professores, sou interpelada pela L., que me disse:
- Olha tens de pôr ali mais uns saquinhos daqueles verdes...
Referia-se às bolachas que eu deixara no cacifo e que ela comera na tarde anterior.
Que eram mesmo boas, disse-me, até me perguntou onde as comprara, não que tivesse intenção de o fazer, mas para ficar informada, que a L. é rapariga que gosta de saber muitas coisas.

Sem comentários:

Enviar um comentário